Gleisi favorecida no esquema dos cybermortadelas. Petista acusava Bolsonaro pela prática desse crime

O Ministério Público Eleitoral de Minas afirma ter encontrado indícios de que Gleisi Hoffmann foi beneficiada diretamente por um esquema de compra de elogios na internet durante a campanha, informa O Globo.

A acusação feita pelo MPE tem o mesmo teor das denúncias, falsas, feitas pela Folha de S.Paulo e repercutidas de forma estridente pela própria Gleisi contra Bolsonaro. Ou seja, a petista se beneficiou por um esquema idêntico ao que acusou Bolsonaro.

A afirmação está na ação judicial que o MPE move contra Miguel Corrêa, o deputado do PT mineiro acusado de chefiar o esquema, por abuso de poder econômico.

A petista –que, com medo de não se reeleger para o Senado, disputou e obteve vaga na Câmara– teria usado a rede clandestina de influenciadores digitais criada por Corrêa para impulsionar ilegalmente conteúdo favorável a candidatos petistas durante a eleição.

O procurador regional eleitoral Angelo Giardini de Oliveira afirma, no documento, ter compartilhado as provas colhidas na investigação em Minas com as procuradorias regionais do Paraná, do Piauí e de São Paulo.

A ideia é possibilitar que Gleisi, Wellington Dias (governador reeleito do Piauí) e Luiz Marinho (derrotado na disputa pelo Bandeirantes) também respondam pelo uso ilegal de ferramentas para propaganda durante a campanha.

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.