Ridículo sem fim. Esquerda alegam que cena com urina, criticado por Bolsonaro, foi obra de “artistas”

Um “manifesto” de esquerdistas sobre a atos obscenos no Carnaval veiculado por Jair Bolsonaro diz que os dois protagonistas da cena do “banho de urina” são  “artistas” e afirma que a cena grotesca foi um “ato político”.

A única política aceitável nesse caso é prender e processar os “artistas” que acharam que poderiam derrubar as quatro paredes e fazer suas práticas escatológicas em local público.

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.