Um dos casos mais perturbadores da história politica brasileira parece finalmente estar se aproximando de sua conclusão. Já faz tempo que há suspeitas quanto ao assassinato do prefeito petista Celso Daniel, e subsequentemente de 8 testemunhas, vem caindo sobre o colo do ex-presidente Lula, na época presidenciável que muito ganhou com a morte de Celso Daniel. Porém agora, uma delação pode finalmente vir à luz para por um prego final na tenebrosa situação. O publicitário Marcos Valério, atualmente negociando delação com três promotores de Minas Gerais e dois procuradores da República, veio a público para garantir ter provas que comprometeriam Lula.

Valério, que já disse em depoimento ao Ministério Público em 2012,  que o empresário Ronan Maria Pinto exigia 6 milhões de reais para não divulgar informações relacionadas ao caso, que implicariam Lula, o ex-ministro José Dirceu e o então assessor particular Gilberto Carvalho, diz agora que quer  esclarecer todos detalhes da chantagem. “O Valério me disse que Ronan ia apontar  o ex-presidente Lula como mentor do assassinato do Celso Daniel”, disse a deputada Mara Gabrilli que coletou depoimento de Valério. Valério garantiu, ainda, ter as provas da chantagem.

 

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

5 Responses to Acabou a farsa : Valério entrega Lula como mandante do assassinato de Celso Daniel

  1. Para ser chefe de bando ou quadrilha, no mínimo deve estar respondendo a processo de razoável periculosidade.

    Essa ai já está até com os bens bloqueados.

    Ótimo começo!.

  2. Que seja divulgado logo, pois este cara esta tentando sair de um monte de lambança que ele fez para se manter como um incone do país.

    • Lula alem de chefe da maior quadrilha que assaltou os cofres publicos brasileiros, realizou, traçou,um plano macabro , cruel e covarde no assassinato do PREFEITO CELSO DANIEL. Prisão Perpétua é pouco, como pena, para esse bandido que levou o nosso Brasil ao fundo do poço .

  3. Até quando vamos esperar a prisão desse marginal “molusco”???
    Obs.: Não gosto nem de citar o apelido do indivíduo.