O candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, se reuniu com economistas em São Paulo na manhã desta quarta-feira 5 para apresentar suas propostas de governo. Na entrada, afirmou que considera “estimulante” para a economia a atual cotação do dólar, acima de 4 reais, e que cogita mantê-la caso assuma a condução da economia brasileira em 2019.

“Por mais que haja alguma dificuldade para setores intensivos em importação, o câmbio no nível que está hoje é estimulante e talvez a gente nem precise mexer”, afirmou. Para o candidato, um câmbio mais elevado pode estimular a produção nacional, diante da dificuldade em importar.

Ciro disse compreender que a atual gestão do Banco Central, comandada por Ilan Goldfajn, já está “fazendo mais ou menos isso” hoje, no sentido de utilizar a gestão do câmbio para fins de crescimento, mas que ele não terá sucesso se seguir tentando reduzir a cotação do dólar no Brasil.

O candidato reafirmou a defesa do duplo mandato do BC e do plano dele de destravar as obras de infraestrutura para gerar dois milhões de empregos este ano. No encontro, fechado à imprensa, Ciro esteve com 28 economistas, entre os quais os ex-ministros Luiz Carlos Bresser Pereira e Luiz Gonzaga Belluzzo e o economista-chefe da corretora Spinelli, André Perfeito.

Acompanhado do assessor econômico Mauro Benevides e do coordenador do programa de governo, Nelson Marconi, Ciro se esquivou de dizer qual dos dois escolheria para quais ministérios. “Isso a gente vai resolver no par ou ímpar”, brincou. (Veja)

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.