Por Alexandre Garcia

Começou o fim de ano e começa o fim do primeiro ano do governo Bolsonaro. Esse foi um ano em que a gente não viu as anuais e tradicionais denúncias de corrupção. Também não tivemos aquelas histórias de partido mandar em ministério: quem manda no ministério é o presidente.

Tivemos a prática da separação de poderes. O Legislativo cuida do Legislativo, o Executivo cuida do Executivo. No Legislativo cada um cuidou do seu nariz, o presidente da Câmara cuida da Câmara, o do Senado igualmente. E no Executivo cada chefe de governo mandou no seu governo. As coisas estão funcionando de modo diferente.

As empresas estatais não têm mais que perguntar ao líder do partido político se podem ou não fechar negócio ou se a empreiteira vai ou não dar propina sobre a forma de ajuda eleitoral.

Imagina o que aconteceria neste ano em outra situação em relação às eleições do ano que vem. Em outro governo já estariam recolhendo propina para financiar a campanha das eleições municipais. Nos livramos.

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Leave a Reply