Na semana em que a facada sofrida durante a campanha presidencial completa um ano, o presidente Jair Bolsonaro cobrou os investigadores do caso pela identificação de um mandante de Adélio Bispo, autor do atentado. Em entrevista ao canal de Youtube da atriz Antônia Fontenelle, nesta segunda-feira 2, o presidente disse que espera “há muito tempo” que a Polícia Federal solucione o caso.

“Há muito tempo espero que a PF chegue no final da linha. Entre o meu caso e o da Marielle Franco, que a imprensa tanto reverbera, o meu é muito mais fácil ou menos difícil de se desvendar, mas não se dá a atenção para o meu caso”, declarou Bolsonaro, que voltou a culpar a Ordem dos Advogados de Brasil (OAB) de interferência nas investigações, o que já foi negado pela entidade.

“Imediatamente apareceram quatro advogados para defender esse marginal chamado Adélio. Um deles a Polícia Federal tem a certeza que tem o nome do mandante do crime. O que a OAB fez? Entrou com um mandado de segurança para que a PF não entre no telefone desse advogado. O advogado tem que ter imunidade? Sim, mas advogado honesto… advogado bandido, não”, disse.

disse não querer interferir na apuração do caso para não ser acusado de “produzir um mandante”. Ainda sobre a facada, minimizou a influência da situação para sua vitória eleitoral: “aquela facada não me elegeu, na facada eu já estava eleito. Eles tentaram dar um fim a uma candidatura, daí teria o Haddad, o Ciro ou o Alckmin como presidente. Tirem suas conclusões como estaria o Brasil”. (Veja)

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.