Em entrevista à RecordTV nesta segunda-feira, 29, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) pregou “igualdade” entre os brasileiros e afirmou que minorias não podem ter “superpoderes”. O discurso ecoa afirmações dadas por ele na semana passada, antes da votação do segundo turno, de que um governo seu vai acabar com o “coitadismo” de negros, homossexuais, mulheres e nordestinos.

“Eu queria saber, que me definissem, o que é minoria, quais direitos de tais minorias. Nós somos iguais, não tem diferença minha para você, não interessa cor de pele, opção sexual, região que você nasceu, gênero, somos iguais, como está no artigo 5º da Constituição. Não podemos pegar certas minorias e achar que tem superpoderes e são diferentes dos demais. Se conseguirmos igualdade para todo mundo, todos se sentirão satisfeitos”, declarou.

Depois de falar à Record, o presidente eleito deu uma entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, em que foi questionado sobre episódios recentes de agressões a homossexuais. Ele defendeu o agravamento de punições aos agressores. “A agressão contra um semelhante tem que ser punida na forma da lei e se for por um motivo como esse tem que ter a sua pena agravada”.

À emissora do bispo Edir Macedo, Jair Bolsonaro repetiu o discurso de campanha de que pretende configurar como “terrorismo” as atividades do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

 

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.