G1

O candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, Geraldo Alckmin, afirmou neste domingo (26), durante visita à favela de Paraisópolis – uma das maiores da cidade de São Paulo –, que não está preocupado com a sua colocação nas pesquisas de intenção de voto porque, na visão dele, a campanha inicia efetivamente com a largada do horário eleitoral.

Os programas dos candidatos no rádio e na TV estreiam na sexta-feira (31), porém, as propagandas dos presidenciáveis começam a ir ao ar em 1º de setembro, até 4 de outubro. Dono da maior coligação da corrida presidencial, Alckmin terá direito a maior fatia de tempo no horário eleitoral entre os 13 postulantes ao Planalto. Dos 12 minutos e 30 segundos de cada um dos dois blocos de propaganda dos presidenciáveis que serão exibidos a cada dois dias, Geraldo Alckmin vai aparecer em 5 minutos e 32 segundos, quase metade do tempo total. O segundo candidato com mais tempo de rádio e TV é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com 2 minutos e 23 segundos.

Nas últimas pesquisas do Ibope e do Datafolha, Geraldo Alckmin aparece posicionado na quarta posição da disputa, com percentuais que oscilam de 5% a 6%. No Ibope, o tucano divide a quarta colocação com o candidato do PDT, Ciro Gomes, ambos com 5%.

Alckmin e seus aliados políticos apostam na força do horário eleitoral no rádio e na TV para alavancar a candidura e assegurar uma vaga em um eventual segundo turno. Além dos 5 minutos e 32 segundos em cada um dos dois blocos dos presidenciáveis, o tucano terá 434 inserções de 30 segundos a serem veiculadas na programação de cada emissora ao longo de toda a campanha de primeiro turno.

“Agora que vai começar a campanha eleitoral. Agora que vamos saber efetivamente quem vai ser candidato a partir do final dessa semana, que começa o horário da televisão e do rádio. Aumenta a tensão e o interesse pela eleição, então, os argumentos, os temas, a decisão de voto. Agora que começa a reflexão e a população brasileira, corretamente, está mostrando, até pelo seu sofrimento, que ela vai refletir, refletir mais para frente”, declarou Alckmin aos repórteres durante a visita a Paraisópolis.

Pequenos empreendedores

Na agenda de campanha em Paraisópolis, Alckmin conversou com moradores da favela e assistiu a uma apresentação do premiado grupo de balé da comunidade. O tucano afirmou, durante seu discurso, que, se eleito, pretende apoiar os pequenos empreendedores do país, oferecendo linhas de crédito “especialmente” para micro e pequenos empresários.

Segundo ele, esses pequenos empreendedores são os que mais podem gerar emprego e renda para melhorar a vida da população.

“Governar é escolher, então, escolher aquilo que gera emprego, escolher a área social, a saúde, a educação e a segurança. Infraestrutura dá pra gente trazer muito investimento privado através de agências reguladoras ou marco regulatórias”, declarou o presidenciável do PSDB.

Alckmin também afirmou aos moradores de Paraisópolis que, caso vença a corrida presidencial, irá cortar despesas supérfluas. Ele prometeu diminuir o tamanho do estado, enxugando, por exemplo, o número dos atuais 29 ministérios para recuperar a capacidade de investimento do Estado. O tucano, no entanto, não disse quantos nem quais ministérios seriam eliminados.

“Queria destacar aqui a importância do empreendedorismo. De cada 10 empregos criados no Brasil, nove foram criados por micro e pequenas empresas. Então, nós vamos colocar o BNDES, o crédito a favor do pequeno, facilitar, desburocratizar a atividade empreendedora”, prometeu.

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.