13151743_10156897841390635_5632561032048969502_n

Uma das cenas mais bizarras do bota fora de Dilma no último dia 12 em Brasília pouca gente viu ou ficou sabendo. Guerreiras da República de Curitiba, do movimento ‘Mais Brasil, Eu Acredito’, inclusive a musa do movimento, Rafaela Pilagallo, com seu “je ne sais quoi” de Angelina Jolie, vestidas com trajes com as cores da bandeira nacional, se infiltraram, na maior cara dura no comício (que deveria ser apoteótico, com mais gente com bandeiras vermelhas que os de Kin Jon-un, mas foi um fiasco histórico).

As curitibanas registraram tudo, se aproximaram do local onde Dilma disparava seus últimos delírios, observada por um desanimadíssimo Lula. Quando foram identificadas pelas “mulheres do grelo duro” que participavam da manifestação. Ouviram alguns xingamentos indignados (“Tão rindo do quê?”) e gritaria para que fossem embora. O fuzuê chegou a chamar a atenção de Dilma, que viu o movimento e soltou um “Ai meu Deus!” As curitibanas, depois de testemunhar ao vivo a queda do PT, resolveram fazer uma retirada estratégica.

Esse grupo já tem um histórico de valorosos embates com os petistas. Mostraram que são mulheres de fechar o comércio em Curitiba. Já confrontaram com brigadas de mortadelas no Aeroporto de Brasília quando foram entregar na Câmara as 10 medidas contra a corrupção. Outra proeza antológica do grupo foi se hospedar no Royal Tulip, antes da votação impeachment na Câmara.

Era nesse hotel que Lula, hospedado na suíte presidencial (R$ 26 mil a diária) se dedicava a tenebrosas transações para mudar votos. As curitibanas ficaram campanando quem entrava para encontrar o ex-presidente. Uma das vítimas foi o todo-poderoso e multi-enrolado Gilberto Carvalho. Ele ouviu poucas e boas. Entre elas: O senhor é ladrão!”

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

0 Responses to Curitibanas se infiltraram no bota fora de Dilma. E ficaram lá até serem identificadas pela turma do “grelo duro” do PT (vídeo)

  1. Esse povim miserável do PT não precisa ser provocado pra fazer suas badernas. Bando de parasita