O inchaço da máquina pública brasileira é legendário, e amputações generosas podem muito bem ser uma das poucas saídas para a crise. Infelizmente demitir servidores públicos vai contra nossa cultura de relevar a incompetência, e ainda mais grave, é dificuldade por um sistema trabalhista que garante proteções e estabilidade a esses funcionários. A boa noticia é que o governo, finalmente, está dando pequenas passos na direção correta com uma série de demissões que, com sorte, abrirão caminho a uma reforma trabalhista ampla que revigore o sistema e permita limpar a casa de maneira verdadeiramente substancial. Mesmo esse pequenos passos de Temer já bastaram para bater nosso recorde de demissões em nível federal, foram 550 em 2016, incluindo tanto funcionários efetivos quanto comissionados. O motivo para a maioria dos deligamentos não poderia ser outro: corrupção. Nada menos do que 343 foram por não se contentar em cumprirem a descrição do cargo sendo um prejuízo para Brasil, fizeram questão de englobar o vasto universo de corruptos que assola o país. 

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

2 Responses to Drenando o pântano: Governo Temer bate recorde de demissões

  1. Foi pouco, muito pouco mesmo, é preciso muito mais dedicação a esta tarefa.
    Tem muito corrupto, muita concussão e, principalmente, muitos cargos absolutamente desnecessários, se retirarmos vinte por cento do total de funcionários públicos federais, nos lugares certos ninguém sentirá.