Dilma Rousseff tenta rebater delação de Marcelo Odebrecht, em entrevista a Folha de S. Paulo, sobre o fato que ela sabia das propinas, com um argumento fecal. Alega “apertada”  foi ao banheiro no México e não entendeu o que Odebrecht falou quando saiu da “toalete”. Confira:

“Eu viajei ao México para um encontro com o [presidente] Peña Nieto e depois houve um almoço e uma reunião com empresários. O Marcelo estava lá. No fim do dia, eu já estava saindo para o aeroporto, atrasada, mas queria ir ao banheiro. Fui para [o toalete de] uma sala reservada e fiz o que tinha que fazer [risos]. Quando voltei, tá lá o senhor Marcelo nessa sala. Ele começou a falar comigo, do jeito Marcelo, tudo meio embrulhado. E eu numa pressa louca, olhando pra ele. Não entendi patavina do que ele falava. Niente [“nada”, em italiano]. Ele diz que me contou que poderia ocorrer contaminação. Mas eu não tinha conta no exterior. Se o João tinha, o que eu tenho com o João? Por que eu teria que saber?”

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.