Uma das maiores mudanças nas eleições de 2018 foi a forte limitação das doações de campanha, em favor da criação de um fundo partidário bilionário. A vasta maioria desse dinheiro foi para candidatos com desempenho pífio nas eleições como Geraldo Alckmin ou com ligados a organizações criminosas que saquearam o aparelho público como o PT. Porém, ao contrário, de todas as expectativas o dinheiro não venceu nessas eleições. Bolsonaro, com apenas 8 segundos de TV, e praticamente sem acesso a fundo, atropelou os concorrentes. Rafaela Pilagallo, fundadora do movimento de rua Mais Brasil Eu Acredito, agora na chapa do único candidato a senador coligado a Bolsonaro no Paraná, Rodrigo Reis, explicou o fenômeno em entrevista realizada ao Blog ontem:

“No início foi muito difícil. São 8 segundos de TV, é muito difícil mostrar ao público sequer que Bolsonaro tem um candidato para o Senado. Um episódio marcante foi quando uma senhora me procurou e me disse que viu o Rodrigo na TV mas não conseguiu anotar o número, eu pensei: ‘claro com 8 segundos de TV é difícil sequer passar o número para o povo’, então passei para ela o nosso panfleto e com o um sorriso ela me disse: ‘vou divulgar para todo mundo’, isso me moveu, mostrou que o público estava pronto para nos aceitar, mas precisávamos fazer nossa parte. Fizemos. Foi sem dinheiro, sem tempo de TV, crescemos através das carreatas das redes sociais, através da boca do povo. Foi impressionante, algo que era impossível no passado sem tempo de TV e dinheiro, um crescimento orgânico. É o efeito Bolsonaro: o fim das campanhas milionárias o surgimento da política limpa.”

Veja a entrevista completa clicando aqui.

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.