Qual crime é mais repugnante: violência doméstica, surrupiar dinheiro de aposentados ou pedofilia? A resposta é difícil, pois os três crimes são movidos pela essência torpe do ser humano. Contudo, para Gleisi Helena Hoffmann, senadora pelo PT paranaense, avançar sobre o bolso dos aposentados é crime de menor potencial, talvez na opinião da parlamentar seja um favor, assim como estupro em série de jovens indefesas seja parque de diversões de alguns “companheiros”.

Líder do PT no Senado Federal, Gleisi Helena solicitou à Procuradoria da Mulher, na quinta-feira (30), para que a Justiça seja acionada com o intuito de investigar a denúncia de agressão praticada pelo senador Lasier Martins contra a mulher, a jornalista Janice Santos.

Coerente com sua política de “dois pesos e duas medidas”, Gleisi manteve silêncio sepulcral diante do esquema criminoso Consist, em que seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo da Silva (Planejamento e Comunicações), é acusado de chefiar esquema que abduziu de servidores federais e aposentados mais R$ 100 milhões.

A desfaçatez que reinou na seara do escândalo da Consist foi tamanha, que a própria Gleisi teria se beneficiado com o esquema, investigado pela Operação Custo Brasil da Polícia Federal, tendo contas pessoais pagas pelo golpe aplicado em quem recorria a empréstimos consignados.

Em ofício enviado à senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), a petista afirma que “a Procuradoria da Mulher tem como pauta a luta pela igualdade plena e o enfrentamento da violência contra as cidadãs”.

No documento, a senadora do PT também destaca que a “acusação de prática de violência de um membro do Senado Federal contra uma mulher não pode passar desacompanhada de uma ação efetiva desse órgão”.

A jornalista Janice dos Santos, mulher do senador Lasier Martins (PSD-RS), registrou queixa contra o parlamentar por agressão na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) em Brasília. O senador, por sua vez, nega que tenha agredido Janice, de quem o político afirma estar se separando.

Gleisi Hoffmann, que mostra indignação diante desvios alheios, continua devendo explicações por coisas gravíssimas de sua inteira responsabilidade. Entre as quais, a de ter nomeado um pedófilo conhecido, Eduardo Gaievski, para o cargo de assessor especial na Casa Civil, incumbindo-o de administrar as políticas federais destinadas a crianças e adolescentes do governo federal.

O UCHO.INFO não está a defender o senador Lasier Martins, que deve ser punido com o máximo rigor da lei, mas é inaceitável a dualidade comportamental de uma senadora que fechou os olhos para o estupro de meninas vulneráveis (menores de 14 anos), mas regurgita doses de moralismo a reboque do caso de violência contra a jornalista.

Apenas para expor a face lenhosa de Gleisi Helena, a defensora de primeira hora das mulheres, Gaievski, o monstro da Casa Civil, foi condenado a mais de cem anos de prisão e entre os crimes que constam de seu prontuário está a prática de sexo oral com uma garota de apenas de cinco anos. Sendo assim, fica a pergunta: que moral Gleisi tem para cobrar investigação sobre prática de violência doméstica, se jovens indefensas foram barbaramente violentadas por seu pedófilo de plantão?

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.