A juíza Gabriela Hardt negou um pedido da defesa do executivo Paulo Ricardo Barqueiro de Melo, delator da Odebrecht, por um novo interrogatório na ação penal que apura pagamento de propina, por meio da compra de um terreno para o Instituto Lula.

O pedido, foi motivado pela nomeação de Sergio Moro como ministro da Justiça de Jair Bolsonaro. Os advogados alegaram necessário “respeito aos princípios da ampla defesa e do contraditório”.

A substituta de Moro decidiu que não faz sentido.

“Cabe à Defesa comprovar eventual prejuízo na prolação da sentença por outro Juiz, o que, em princípio, não ocorreu”, diz ela. (O Antagonista)

 

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.