MBL quer usar Lei de Segurança Nacional para representar criminalmente contra Gleisi Hoffmann por adesão a Maduro

O MBL representou criminalmente na Procuradoria-Geral da República a presidente do PT, Gleisi Hoffmann. 

A alegação é que ela teria infringido o Artigo 8 da Lei de Segurança Nacional, que afirma que é crime “entrar em entendimento ou negociação com governo ou grupo estrangeiro, ou seus agentes, para provocar guerra ou atos de hostilidade contra o Brasil”. 

“A postura da Gleisi como presidente do PT e seu alinhamento com o Nicolás Maduro, bem como as críticas ao Grupo de Lima, ao qual o Brasil é signatário, acentuaram a hostilidade do ditador venezuelano ao governo brasileiro”, diz Rubinho Nunes, advogado e coordenador do MBL.

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.