2016-11

Um dos maiores prazeres desfrutados com a esmagadora vitoria de Trump advêm da maravilhosa constatação de que um dos esmagados é a imprensa globalista internacional. Nos Estados Unidos, o cenário do mascare épico, com a oposição de virtualmente toda a mídia: CNN, MSNBC, New York Times, Washington Post, Huffington Post e muitos, muitos outros veículos declaram apoio explicito em seus editorias para a candidata democrata Hillary Clinton. Desde o começo esses trovadores bufões garantiram ao povo americano que Trump não iria se candidatar, depois que Trump não venceria as primarias e por fim que jamais venceria a eleição, para piorar, acompanharam todo o processo com dezenas e dezenas de pesquisas eleitorais furadas. E agora com a poeira baixando não resta duvida: O enforcamento de Hillary foi realizado com as tripas da imprensa americana.

Mas se o fiasco da mídia americana foi colossal um argumento pode ser feito que o fiasco da mídia brasileira na cobertura da decomposição  relâmpago de Hillary foi tão grande ou maior. A mídia brasileira, ao contrario da americana que ao menos admite abertamente a quem apoia, tem o repulsivo habito de fingir neutralidade. Mas é claro que a mídia brasileira é incapaz de resistir papagaiar a americana, e logo ela estava difamando Trump ao mesmo tempo que garantia a ‘histórica’ vitoria de Hillary. Pasmos com o resultado os ‘analistas’ políticos brasileiros, os mesmo que até ontem diziam que uma vitoria de Trump era ‘impossível’, reafirmam sua ‘neutralidade’ passando imediatamente a atacar o presidente eleito Trump. A acusação mais recorrente? Trump seria ‘despreparado’…

‘Despreparado’. Sabe quando eu não ouvi essa palavra magica da imprensa brasileira? quando em 2003 o semi-analfabeto Luis Inácio Lula da Silva  se candidatou a presidência. Trump um bilionário, que independente do sucesso total ou parcial de seus empreendimentos foi capaz de se manter vertiginosamente rico por quase meio século, Trump o autor de um dos livros de negócios mais vendidos de todos os tempos (The Art of the Deal), Trump criador e astro de um dos shows mais bem sucedidos da historia da TV americana (The Apprentice), Trump formado na Universidade da Pensilvânia pela prestigiosa Wharton, Trump que venceu nessas eleições um total de 17 candidatos, mesmo com todas as forças políticas reunidas na tentativa de parara-lo, seria ‘despreparado’. É difícil ver exemplo mais evidente da hipocrisia da imprensa nacional do que esse. A mesma mídia que bajulava e idolatrava o analfabeto Lula chamando Trump de ‘despreparado’… vale ouro.     

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.