Sem título

O PT não tem como explicar a própria podridão. Partido que chegou ao poder pregando uma “nova ética na política”, levou a corrupção nacional para níveis nunca vistos. Antigos sindicalistas se tornaram milionários, ex-gerentes da Petrobras estão devolvendo centenas de milhões de dólares em acordos com a Justiça. A incompetência administrativa arruinou a economia do país, produziu 12 milhões de desempregados, trouxe de volta a inflação e o descrédito internacional. Mas o PT não desiste nunca.

Como não consegue explicar como os defensores da ética se revelaram os maiores larápios do dinheiro público, decidiram lançar, numa estratégia ousada, própria dos canalhas, uma legítima “Operação Gambá”. Ou seja, jogar cheiro ruim sobre todos os políticos como forma de tentar melar e zerar o jogo. Inviabilizar o governo Temer, provocar novas eleições e abrir a possibilidade de Lula voltar prometendo uma nova safra de bolsas, e outras miragens para atrair os incautos.

Essa estratégia fica evidente com a forma como vem sendo vazada a delação de Sérgio Machado, o mega-corrupto ex-presidente da Transpetro. Um suposto pedido de auxílio para uma candidatura do PMDB à prefeitura de São Paulo, que teria sido feito por Temer, é tratado como se fosse um crime do mesmo grau de gravidade dos atribuídos a Lula e Dilma.

Lula acumulou R$ 27 milhões de ganhos em “palestras” para empreiteiras que ninguém sabe, ninguém viu. Isso sem falar no sítio e no tríplex, que não são dele. Dilma, além de ter pilotado o maior desastre administrativo da história do país, foi responsável pela compra superfaturada de Pasadena, com prejuízo de pelo menos US$ 1 bilhão para a Petrobras e o Brasil.

Agora vem a cereja do bolo. Monica Bergamo, colunista da Folha de S. Paulo, que tem acesso frequente a informações de bastidores do interesse do PT, anuncia em sua coluna: “Depois da citação a Michel Temer na delação de Sérgio Machado, cresce nos meios jurídicos envolvidos na negociação da delação premiada da Odebrecht a discussão sobre a forma com que o presidente interino aparecerá nas informações que a empresa prestará à Justiça”.

Não é preciso ser muito esperto para ver qual é o objetivo final da Operação Gambá. Inviabilizar Temer politicamente e forçar a convocação de novas eleições. É a única chance de o PT voltar ao poder e continuar sua obra de fazer a revolução pela corrupção.

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

2 Responses to Operação Gambá. PT lança mau cheiro em cima de todos, especialmente Temer, para Lula voltar sem explicar a própria podridão

  1. Olá boa tarde ! César Weis.
    Meu Jovem César ! Por que será que nós cidadãos comuns temos a visão de ver toda essa roubalheira já mais vista na nossa história, diante de tantas provas já colhidas pelo Ministério Público, Lava Jato e Polícia Federal, E Lula Dilma e os demais Corruptos envolvidos ainda não foram presos.
    Será que o STF não tem a mesma opinião do Ministério Público Federal e nós cidadãos ?
    Olha isso que os integrantes do PT estão fazendo com o povo brasileiro é terrorismo, Eu citei terrorismo baseado na ações praticadas pelo MST, Cult. Com o aval da Press: Dilma /Lula. dentro do palácio oficial do governo federal em Brasilia, onde esses bandidos e subversivos se reúnem no seio do governo para fazerem ameaças ao povo e tocarem o terror no Brasil e tudo isso transmitido ao vivo pelas emissoras de Rádio e TV, Onde o MST certa vez fez essas declarações de ameaças esse bando de foras da Lei as cumpriram, invadiram algumas fazendas e tocaram o terror como foi divulgado pelos telejornais.
    Na minha modesta opinião esses subversivos da Nação Brasileira deveriam ser enquadrados na Lei de Segurança Nacional. Presos, julgados e condenados por um Tribunal Militar Federal.

  2. Olá ! em tempo… Esqueci um detalhe onde citei “Terrorismo” E é o que esses subversivos tem feito desde que o PT chegou ao poder. Segue abaixo…
    _ Terrorismo: Emprego sistemático da violência para fins políticos, em especial A prática de atentado e destruição por grupos, cujo objetivo é a desorganização da sociedade existente e a tomada do poder.