A Procuradoria Geral da República negou em nota informações de que a procuradora Raquel Dodge, chefe do Ministério Público Federal, esteja sofrendo pressões para afastar o procurador Deltan Dallagnol da coordenação da Operação Lava Jato em Curitiba.

A nota foi divulgada pela Procuradoria para desmentir reportagens divulgadas nos últimos dias de que ministros do Supremo Tribunal Federal estariam pressionando a procuradora-geral para afastar o responsável pela Lava Jato em Curitiba.

No texto, divulgado nesta sexta-feira (2), a PGR afirma que Dodge não sofreu pressão de qualquer tipo e esclarece que Deltan tem garantia constitucional para não ser afastado dos processos da Lava Jato, dos quais é o promotor natural, atuando em conjunto com os demais membros da força tarefa, designados pela procuradora-geral.

No último dia 1º, foram divulgadas supostas mensagens segundo as quais procuradores da Lava Jato no Paraná pretendiam investigar ministros do Supremo.

No mesmo dia, o ministro Alexandre de Moraes, relator de um inquérito no STF que apura ofensas a ministros da Corte, vazamento de informações ou atos irregulares de servidores contra integrantes do tribunal, determinou ao juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília, que entregasse em até 48 horas uma cópia do inquérito que apura a invasão de celulares de autoridades. Moraes também determinou o envio de cópia das mensagens.

Segundo o ministro, a decisão foi motivada por “notícias veiculadas apontando indícios de investigação ilícita contra ministros da Corte”.

“Diante das notícias veiculadas apontando indícios de investigação ilícita contra ministros desta Corte, expeça-se ofício ao Juízo da 10ª Vara Federal Criminal de Brasília, solicitando cópia integral do inquérito e de todo material apreendido durante a Operação Spoofing, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas”, determinou Alexandre de Moraes na ocasião.

Um dia depois, o juiz federal determinou que a Polícia Federal que enviasse ao STF cópia do inquérito sobre a invasão de celulares. (G1)


Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Leave a Reply