Candidatos a Presidência da República costumam se apresentar como donos de virtudes, capacidades e reputações ilibadas. O PT, em mais uma de suas absurdas contribuições a política brasileira, acaba de inventar a “candidatura hábeas corpus”.
Seu candidato é Lula, cinco vezes réu em processos por corrupção e sua candidatura, lançada pelo presidente do PT, Rui Falcão, tem o explícito propósito de manter o chefe longe da cadeia.
No raciocínio do presidente do PT, a prisão de Lula se configuraria como um ato político destinado a inviabilizar sua candidatura presidencial. Tamanho cinismo não surpreende quem acompanha as peripécias do PT, que comandou governos que resultaram nos maiores acordos de delação premiada por corrupção da história do planeta.

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

2 Responses to PT inventa a “candidatura hábeas corpus” para tentar manter Lula fora da cadeia

  1. Quem é esse rui falção para abonar o maior ladrão do mundo, o sr. lula, segundo o google. O sr. rui falção é ex-terrorista que contou com o beneplácito de ser “anistiado”…o Brasil precisa de limpeza pra salvar o que ainda resta da população… tem sido mortos no Brasil anualmente, 100 mil brasileiros, fora os doentes que não tem assistência médica e morrem a mingua nos hospitais ou morrem até mesmo antes de conseguirem ser atendidos !!! Não será com um ladrão como lula e um partido satânico como o PT e os demais, que o Brasil conseguirá se salvar !!! #intervenção militar artigo 142 da Constituição já !!!

  2. Este problema não está no PT ou no Lula, em qualquer país decente do mundo bastaria que o cidadão fosse citado em corrupção e suas chances eleitorais em eleições majoritárias se reduziriam a quase nada, se fosse indiciado suas chances em eleições proporcionais chegariam a mesma condição, em caso de condenação, partido algum o aceitaria como candidato a nada.
    O nosso problema está no eleitor que tem um padrão moral muito flexível, quase inaceitável, que aceita ser comparado e representado por criminosos, é conivente com a corrupção e com o corrupto.