Ministro Luiz Roberto Barroso, atuando como relator votou pela impugnação da candidatura de Lula. Barroso fulminou a recomendação da ONU como sendo não vinculante, e expondo a fake news petista que tentava passar a recomendação preliminar de um órgão menor da organização como sendo uma ‘ordem’.   O ministro também derruba a tese subsidiária da defesa de Lula pela suspensão da execução provisória da pena.

Segundo o ministro, a condenação por órgão colegiado já é suficiente para retirar o candidato das urnas: “O candidato seria inelegível mesmo que estivesse solto.”

Além de declarar a inelegibilidade de Lula com base na Ficha Limpa, Luís Roberto Barroso também votou por rejeitar a participação do condenado no horário eleitoral gratuito.

“Veto a prática de atos de campanha, especialmente no rádio e na televisão, e determino a retirada do nome do candidato da urna.”

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sorry, comments are closed for this post.