Fernando Francischini, o deputado estadual mais votado do Paraná, com quase meio milhão de votos, e atual líder do PSL na Câmara, explicou porque o PSL deve crescer ainda mais com o tsunami Bolsonaro. Nessa eleições o partido elegeu 52 deputados federais se tornando o segundo maior partido atrás apenas do PT com 56, mas, segundo Francischini o partido deve alcançar 70 deputados já no início do ano que vem. “A migração vai ser gigantesca” disse Francischini a imprensa.

O crescimento do partido deve ocorrer graças a cláusula de barreira, vários partidos de direita que tiveram deputados eleitos nessas eleições devem desaparecer por não ter atingido o estabelecido em 2017, pelos deputados e senadores na reforma política eleitoral. A será implementada progressivamente até 2030. Nesse ano, o critério é a eleição de pelo menos nove deputados federais distribuídos em nove estados ou a obtenção de 1,5% dos votos válidos, distribuídos em pelo menos nove estados, com 1% dos votos válidos em cada estado.

Francischini  disse que deve haver um efeito cascata nos estados e municípios, com parlamentares migrando para o PSL se seus partidos forem atingidos pela cláusula. No Paraná o PSL já fez votação expressiva para deputados estaduais, formando a maior bancada da Assembleia Legislativa do estado, com a migração o domínio legislativo deve se tornar ainda maior. A estrutura já está pronta e aguarda a eleição de Bolsonaro para por o país no trilhos.

 

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Leave a Reply