O primeiro ato de campanha de Fernando Haddad (PT) depois da eleição que garantiu a presença do Partido dos Trabalhadores no segundo turno foi visitar Lula na cadeia para receber ordens. Durante o primeiro turno o candidato do PT visitou o presidiário 15 vezes para saber o que deveria fazer. Haddad teve 29,3% dos votos, contra 46,1% de Jair Bolsonaro (PSL-RJ).

Ele fez a visita com o secretário de finanças do partido, Emídio de Souza, que é investigado pela Lava Jato. Os dois são registrados como advogados de Lula e podem se encontrar com o ex-presidente a qualquer momento, durante a semana.

Além de agradecer e homenagear o petista, Haddad veio traçar com ele a estratégia política para o segundo turno.

Setores do PT defendem que Lula delegue de vez a campanha ao presidenciável, para que ele busque os acordos necessários para o segundo turno.

Um dos dirigentes do partido afirmou à coluna de Monica Bergamo que a prioridade agora é criar uma “zona de conforto” para que pessoas que rejeitam Bolsonaro, mas ao mesmo tempo são críticas ao PT, apoiem Haddad, num movimento suprapartidário e da sociedade civil “pela democracia”.

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Leave a Reply